Crescer com Afecto

Saúde Pais e Filhos

Educar na Liberdade

Family running outdoors holding hands and smilingO tema da liberdade e da responsabilidade é um dos temas centrais da educação dos filhos e deve ser alvo de análise e reflexão por parte do casal. Educar na liberdade é, efetivamente, o mais difícil de conseguir, mas é, todavia, o mais necessário. Por um lado, existem pais que, por afãs de liberdade, acabam por não conseguir colocar limites aos filhos. Por outro lado, há outros que, por afãs educativos, acabam por não respeitar a liberdade dos seus filhos impondo-lhes vontades alheias.

Ao preparar as crianças para a liberdade, os pais estão a permitir que elas possam alcançar a sua máxima grandeza – uma liberdade constitutiva que, se bem orientada, conduz à liberdade de escolha, baseada em critérios orientados para o bem. Atingir essa liberdade – a capacidade do homem poder negar a realização do que é mais próprio do seu modo de ser e da sua natureza – requer esforço pessoal e educação. Garrido, em Educar en liberdad y responsabilidad, afirma que “educar es enseñar a los niños a usar bien su libertad, de modo que quieran adherirse al bien con su conducta, superando la rebeldía negativa”.

Desde cedo, os filhos testam os limites dos pais. E, desde cedo, os pais devem educar os filhos, tendo o cuidado de adequarem as estratégias utilizadas à fase de desenvolvimento de cada um, para que eles entendam o fundamento das escolhas e das tomadas de posição que lhes são sugeridas. Por isso é tão importante que os pais coloquem regras e limites bem claros, sob pena de estarem a criar um futuro candidato à indisciplina.

Para que aprenda a ser livre, a criança, antes de mais, deve aprender a confiar e a obedecer. Aos pais cabe o exercício irrenunciável da autoridade, algo que se revela decisivo e estruturante num crescimento socio-emocional saudável da criança. Para que ela aprenda a obedecer, os pais devem dar-lhe motivos elevados e encorajadores que a faça entender o propósito de tais ações, ajudando-a a compreender que a obediência é a chave para a convivência com os demais, para que um dia saiba usar a sua autoridade com sabedoria e sensatez.

Se os filhos crescerem percebendo que a obediência se deve ao bem moral, entendem os motivos, forjam o seu caráter e aprendem a ser autenticamente livres. Dessa forma estarão a melhorar como pessoas e a contribuir para que esse bem se estenda ao seu redor.

Por Luís Pereirinha, Professor do 1.º Ciclo do Ensino Básico a Assessor Educativo e Familiar na Crescer com Afecto – Saúde Pais e filhos,

Para Up to Lisbon Kids®

Anúncios

Os comentários estão fechados.