Crescer com Afecto

Saúde Pais e Filhos

ESTÁ NA HORA DE DEIXAR A FRALDA?

DICAS PARA AJUDAR O SEU FILHO A DEIXAR A FRALDA

img_1_34_4434

Está na hora do meu filho deixar a fralda?  
Quando e como lhe vamos retirar a fralda? 
Ele já tem idade para deixar a fralda? 
Será a altura certa?
Deverei força-lo a ir à casa de banho?

Estas são algumas das questões que os pais colocam com frequência aos profissionais de saúde, quando a criança começa a andar e a falar…

Para dar resposta a estas questões é necessário termos em consideração a fase de desenvolvimento em que a criança se encontra e como tem sido o seu desenvolvimento motor e emocional ao longo desse tempo. Segundo Brazelton, pediatra e autor de vários livros de desenvolvimento infantil, a criança tem que estar preparada para este momento (nunca antes dos dois anos) e os pais devem conhecer os sinais de que ela está apta para iniciar este processo.

Deseja-se que este seja um momento positivo, de conquista para a criança e não o contrário: -um momento de frustração e emocionalmente negativo, pode levar a problemas futuros, tais como, retenção urinária e/ou das fezes, incontinência fecal e/ou urinária, ou enurese noturna.

É importante que esta fase, de início do treino esfincteriano (reter o xixi e o cocó durante algum tempo), aconteça quando a criança está preparada, ou seja, no momento em que revela sinais de maturidade [aspetos fisiológicos, cognitivos, psicológicos e emocionais], designadamente:

  • A linguagem da criança está bem desenvolvida;
  • A criança sabe dizer “não”;
  • Começa a imitar os pais e o(s) irmão(s) mais velho(s);
  • Começa a manter-se seca durante uma ou duas horas;
  • Consegue estar algum tempo sentada;
  • Tem regularidade no horário da evacuação;
  • Começa a ter consciência do seu corpo.

Estes são alguns dos sinais que Brazelton enumera como essenciais para que a criança tenha sucesso no controlo dos esfíncteres.

Algumas crianças começam a ser treinadas por volta dos 2 anos, mas não se preocupe se o seu filho, com 2 anos e meio, ainda não tiver iniciado o treino: -muitas crianças só estão preparadas mais tarde. Se, pelo contrário, este der sinais de estar preparado, pode começar o treino do bacio mais cedo; mas não tenha “pressa”, nem crie “lutas de poder” por causa disto. Inicie este processo de treino quando tiver disponibilidade, paciência e quando não tiver demasiadas pressões familiares de outro tipo.

SINAIS DE QUE A CRIANÇA ESTÁ PRONTA:

  • O seu filho consegue manter-se seco durante 2 ou mais horas;
  • O seu filho reconhece os sinais que precisa de usar o bacio/sanita;
  • O seu filho consegue baixar as cuecas e puxá-las para cima sozinho;
  • O seu filho parece motivado ou interessado para ir à casa de banho;
  • O seu filho consegue cumprir instruções simples.

Se identifica a maioria destes sinais no seu filho pode começar o treino esfincteriano, ou treino no bacio, contudo, lembre-se que ajudar a criança a deixar a fralda é um processo que necessita de muita compressão e tempo [cada criança tem o seu tempo].

COMECAR O TREINO ESFINCTERIANO SEGUINDO OS SEGUINTES PRINCÍPIOS:

  • Vista o seu filho com roupas que sejam fáceis de tirar, com elástico na cintura;
  • Use um bacio de tamanho infantil ou um adaptador especial para a sanita;
  • Crie uma rotina para ele se sentar no bacio – comece por sentar a criança completamente vestida uma vez por dia, na altura que ela habitualmente suja a fralda;
  • Avance, sentando o seu filho no bacio despido da cintura para baixo. Não o force nem o obrigue a sentar-se;
  • Deixe que o seu filho o veja a si ou aos irmãos mais velhos a ir à casa de banho;
  • Mostre-lhe como usar o papel higiénico, o autoclismo e como lavar as mãos;
  • Elogie o seu filho sempre que ele usar o bacio, ou vir que ele tem as cuecas secas;
  • Estabeleça um horário para ir ao bacio;
  • Certifique-se de que o seu filho sabe que não faz mal pedir ajuda para ir ao bacio, em qualquer altura;
  • Ensine o seu filho a limpar-se e a lavar as mãos depois de ir ao bacio;
  • Conte com regressões; não dê muita importância aos erros, como molhar a cama ou acidentes – mantenha-se calmo e positivo: “Não faz mal, aposto que da próxima vez fazes no bacio”;
  • Quando a criança já se conseguir manter seca, considere a hipótese de usar cuecas de treino, uma vez que estas permitem às crianças pequenas despirem-se sozinhas; introduza-as gradualmente, talvez durante algumas horas de cada vez;
  • Continue a usar fralda durante a noite, mesmo que o seu filho fique seco durante o dia; pode levar meses ou anos até conseguir ficar seco à noite.

Verónica Pereira
Enfermeira Especialista em Saúde Mental e Psiquiatria
Área de intervenção na Infância e Adolescência
http://www.crescercomafecto.com

Anúncios

Os comentários estão fechados.